Para o nosso bem e dos nossos filhos


“Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor, vosso Deus, que eu vos mando” - Deuteronômio 4:2

As Escrituras são suficientes para a nossa salvação e santificação, portanto, irretocáveis. Nada deve ser acrescentado ou diminuído nelas, se quisermos entendê-las com fidelidade, a fim de andarmos em conformidade com as instruções, por elas reveladas, e termos participação nas bênçãos de Deus, nesses tempos de tamanha exaltação da promiscuidade sexual e idolatria.

Nessa passagem (Dt 4:2) o povo de Deus foi advertido contra os pecados cometidos anteriormente com Baal-Peor (deus moabita da fertilidade) e as consequências da desobediência que sofreram (Dt 4:3). 

Durante a peregrinação, enquanto acampados às margens do Rio Jordão, em Sitim (frente à Cidade de Jericó), muitos homens se prostituíram com as mulheres moabitas e acabaram seduzidos por elas a se envolverem com a idolatria que praticavam à Baal-Peor (Nm 25:1–9). Aquela imoralidade sexual e depravada idolatria, em flagrante rebeldia e desonra aos mandamentos de Deus, resultou num terrível castigo pela justa ira do próprio Deus (Dt 4:3-5). Por causa da desobediência, mais de vinte e quatro mil israelitas morreram (Dt 4:6-9). Foi nessa rebelião em particular que os últimos da primeira geração morreram, por causa dos seus pecados e do inevitável julgamento de Deus contra eles.

Contudo, aqueles que se apegaram aos mandamentos do Senhor (Dt 7:1-6) viveram e escaparam de tão rigoroso juízo. Eles estavam todos lá, ouvindo este sermão pregado por Moisés: “Agora, pois, ó Israel, ouve os estatutos e os juízos que eu vos ensino, para os cumprirdes, para que vivais, e entreis, e possuais a terra que o Senhor, Deus de vossos pais, vos dá” (Dt 4:1). O ponto central dessa advertência se relaciona ao dever (Dt 4:2) que todo cristão verdadeiro tem de preservar a Palavra de Deus, a fim de entendê-la e aplicá-la corretamente, obedecendo exatamente o que Ele ordenou. Ele deve fugir da imoralidade sexual e de qualquer prática religiosa que não considera unicamente Deus e o Seu Filho nas orações e na adoração. Ele nunca deve seguir os passos daqueles que desprezam tão claros mandamentos, que praticam e subestimam imoralidades sexuais, corrompendo a sagrada instituição do matrimônio, em desonra dos propósitos Divinos que os criou. Ele conhece e teme os resultados da desobediência, pois sabe que Deus é justo e santíssimo.

Assim, Moisés concluiu seu sermão: “Por isso, hoje, saberás e refletirás no teu coração que só o Senhor é Deus em cima no céu e embaixo na terra; nenhum outro há. Guarda, pois, os seus estatutos e os seus mandamentos que te ordeno hoje, para que te vá bem a ti e a teus filhos depois de ti e para que prolongues os dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá para todo o sempre” (Dt 4:29-30).


Ericson Martins

Instagram:

Um comentário:

Vídeos

Loading...