Paz nas aflições


O sofrimento é uma experiência que já vivemos ou viveremos, se é que já não estamos no meio dele. Aliás, o crente em Cristo não está imune às tempestades assoladoras deste mundo, principalmente por sua confissão de fé! Por isso, os discípulos foram prevenidos quanto às intensas repressões externas que se levantariam contra a Igreja, e encorajados frente à essas reais possibilidades.

Vivemos num contexto de valores onde as forças do pecado governam as motivações e condutas, onde a norma da justiça é subordinada aos devaneios absurdos da parcialidade, e onde há competição por evidência pessoal e muita ganância. Além disso, a verdade é distanciada pela relatividade, a essência é julgada pelas aparências e a fé em Cristo perseguida pela crueldade. Nessas circunstâncias o sofrimento se torna necessário para derrubar os pilares da ostentação humana, os quais sustentam a impiedade. Nesse meio, os crentes em Cristo estão vulneráveis à difamação, ridicularização e aos preconceitos por confessarem a sua fé, em ambientes públicos e privados das suas relações, às vezes sentindo-se injuriados. São perseguidos por causa da justiça. Sofrem calamidades, inseguranças políticas, perdas materiais, retaliações discretas, abandono de pessoas que amam, são alvos de falsos testemunhos e se sentem vítimas reais de um processo aparentemente descontrolado. Entretanto, Cristo sofreu por nós e, na cruz, venceu e garantiu a mesma vitória para os que Nele creem.  

“Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” - João 16:33

Este texto destaca a centralidade de Jesus no meio das provações. Ele dá paz aos que sofrem por defenderem o evangelho da sua cruz. Não podemos desassociar o verso 33 do verso 32. Jesus disse que seria preso, condenado injustamente e crucificado, e seria abandonado pelos seus discípulos, mas não pelo Pai. Esta união com o Pai o fortaleceria nos mais humilhantes sofrimentos. Ele nunca perdeu a percepção de que o Pai estava ao Seu lado.

Quando estamos sob profundas tensões facilmente perdemos a segurança e não são poucas as vezes em que deixamos de enxergar o caminho pelo qual devemos perseverar. A paz ou a confiança que Jesus reivindicou mantém a percepção de que Deus, soberanamente, pode tornar o “mal” em bem e serve como uma bússola apontando para a direção segura e estável, reservada àqueles que se encontram unidos a Ele. Esta paz é o princípio da perseverança. É a firme convicção de que Deus garante o bem que o mundo ainda não conhece, e que é capaz de fazer-nos superar as provações, gloriosamente (2 Co 4:16-17). Cristo sofreu e venceu, aqueles que Nele creem sofrem, mas não permanecem no sofrimento, pelo contrário, têm a vitória garantida além das aflições.

Em meio aos sofrimentos por causa da nossa confiança no testemunho da Palavra de Deus, resistamos às tentações da precipitação, do abandono da fé e dos acordos com a incoerência. Aguardemos, em oração, pelas ações poderosas de Deus em nossos corações e em nossas circunstâncias, pois as aflições são transitórias, mesmo quando parecem intermináveis ou sem solução. 

Que a paz, por meio da qual Cristo venceu, reine em nossos corações!

Com amor.

Ericson Martins
www.editoracrista.info
www.facebook.com/ericsonmartins

0 comentários:

Vídeos

Loading...