Deus e a autoridade instituída entre nós



A palavra "autoridade" raramente aparece no Antigo Testamento, apesar do seu conceito estar bastante presente. Essa palavra é usada com mais frequência no Novo Testamento como tradução da palavra grega exousia e possui pelo menos quatro significados principais: liberdade de decidir ou direito de agir sem impedimento (At 1:7; Rm 9:21); poder, habilidade ou capacidade de completar uma ação (Mt 9:6-8; Mc 6:7; Lc 10:19); mandato, representação ou autorização para executar uma responsabilidade (Mt 21:23; Jo 10:18; At 26:12; 2 Co 10:8); e a esfera em que a autoridade é exercida (Lc 20:20, 23:7; Ef 1:21; Cl 1:13). Tais ocorrências indicam a influência de líderes, em virtude de seus cargos, como os magistrados civis (Tt 3:1). 

A autoridade de Deus, instituída e revelada através de homens (CFW, XXX-1; Confissão Belga, Art. 30-31; Segunda Confissão Helvética, XVIII-10; KUYPER, 2004, p. 69-70), bem como o tratamento digno que lhe é devido, constitui-se um princípio fundamental para a ordem familiar, institucional, eclesiástica na vida do cristão verdadeiro. Deus criou os homens para viverem sob uma ordem funcional, em que uns exercem autoridade sobre outros, tendo que prestar contas Àquele que assim os instituiu. Quando os homens escolhem ignorar ou viver de modo independente da autoridade que Deus instituiu, pecam. Isso resume a transgressão humana narrada entre Gênesis, capítulos 2 e 3. Essa passagem revela o pecado do homem pensar, decidir e agir ignorando a autoridade e ordem estabelecida sobre ele.

Adão teve liberdade para comer de toda árvore no Éden, menos da árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 2:15-16). Essa foi a ordem de Deus, portanto, cabia-lhe acatar e obedecer. Contudo, desconfiado da verdade Divina, deu crédito à mentira e, finalmente, experimentou sérios prejuízos que se esconderam atrás dos aparentes benefícios da autonomia. Ele pecou quando fez de si mesmo autoridade final, e para si as regras da vida, a parte de quem Deus era e do que havia dito. 

Infelizmente, há um modo sutil e tolerável em nossos dias, nos quais esse pecado contra a autoridade de Deus se repete: quando desrespeitamos, questionamos ou resistimos a autoridade por Ele instituída. A Bíblia é clara ao dizer que toda autoridade humana procede e é instituída por Deus (Jo 19:11) e, portanto, ao opor-se "resiste à ordenação de Deus" (Rm 13:1-2). As crianças devem sujeição e obediência a seus pais (Ef 6:1); o empregado a seu patrão (Ef 6:5; Cl 3:22; Tt 2:9-10); o cidadão a seus governantes (1 Pd 2:13-14); a mulher a seu próprio marido (Cl 3:18) e o membro da Igreja a seus líderes espirituais, com honra (Hb 13:7 e 17). Há exceções, é claro! Quando uma dessas lideranças se opõe a Deus, se torna destituída e a pessoa desobrigada de obedecê-la (At 5:29). Porque toda liderança humana está sujeita a autoridade e ordem estabelecida por Deus. 

Considerando a clareza bíblica desta verdade, por que é tão difícil respeitar e obedecer às autoridades instituídas sobre nós? Por um lado, há abusos dos que a tem para nos orientar, movidos por interesses egoístas e vaidades. Por outro, orgulho dos que lhes devem sujeição voluntária, mesmo quando há exercício bíblico e adequado da autoridade; pois julgam possuir maiores razões.

Acatar com apreço e receber com amor em máxima consideração (1 Ts 5:12-14) aqueles que têm autoridade entre nós, é um princípio inegociável que se sustenta na sabedoria e propósitos divinos que os instituiu. Cabe-nos a sujeição, com humildade e temor diante de Deus, aos nossos pais, patrões, governantes, maridos e oficiais na Igreja, oferecendo-lhes, por meio do nosso tratamento, reações e comentários, respeito e cuidado, pois existem para o nosso bem (Rm 13:4). Obedecê-los confere honra o próprio Deus que os instituiu sobre nós!

Ericson Martins

3 comentários:

  1. Olá Rev. Ericson

    muito bom o artigo, só não entendi a imagem do guarda-chuvas (?)

    Marco Américo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Marco Américo, obrigado! A autoridade instituída por Deus serve como uma proteção àqueles que se submetem a ela. Tive dificuldade para encontrar uma imagem na internet que ilustrasse o texto, e a que encontrei ainda não ilustra muito bem, rsrs. Abraços.

      Excluir
  2. "Eu to entendendo" rrss

    ResponderExcluir

Vídeos

Loading...