Lições de Josué para o homem cristão



            Neste primeiro domingo de fevereiro comemoramos o Dia do Homem Presbiteriano na Igreja Presbiteriana do Brasil. Esta data foi estabelecida na ocasião do 1° Congresso Nacional de Homens Presbiterianos em setembro de 1966. Naquela época já havia diversos ministérios organizados nas igrejas locais dedicados ao crescimento e maturidade de homens presbiterianos. Surgiu como dia de ações de graças a Deus por todos aqueles que dedicam suas vidas no serviço cristão, seja no âmbito da vocação espiritual, seja no secular.

            Na Bíblia há diversos homens tementes a Deus, cuja história inspiram o amor a Deus e disposição para obedecê-Lo através das suas responsabilidades como pai, marido, noivo e namorado, bem como político, religioso, vizinho, empregado, patrão, etc. Aqui desejo destacar brevemente um pouquinho da vida de Josué e por ela conselhos que fazem de qualquer homem um cristão relevante em sua época.

            A história de Josué, filho de Num, inicia no Livro de Êxodo. A primeira menção do seu nome está registrada em Êxodo 17:9 dentre um contexto de batalha no deserto de Refidim, contra os descendentes de Esaú que viviam nos desertos: os amalequitas, logo após saírem do Egito. Foi o primeiro conflito externo que os israelitas tiveram que enfrentar. Ali levantou-se Josué, jovem, porém destemido. Ele organizou o exército israelense, conduzi-o à batalha e retornou vitorioso, enquanto isto Moisés permaneceu “no cume do outeiro” com a vara de Deus estendida sobre a peleja (Êx. 17:10-12). Sua submissão e prontidão para atender Moisés se tornaram memorial do seu nome: “Sucedeu, depois da morte de Moisés, servo do Senhor, que este falou a Josué, filho de Num, servidor de Moisés...” (Js. 1:1).

            01. Josué foi homem disposto para obedecer a Deus. Após a morte de Moisés, Deus entregou a Josué a missão de conduzir o povo para além do Jordão, até a terra prometida, onde teria de liderar uma enorme batalha contra os seus temíveis moradores (Js. 1:2-9). Deus disse: “dispõe-te, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel” (v.2), em seguida foi ao povo e “deu ordem Josué aos príncipes do povo, dizendo: ...dentro de três dias, passareis este Jordão, para que entreis na terra que vos dá o Senhor, vosso Deus para a possuirdes” (Js. 1:11).

            02. Josué foi um líder espiritual como um militar em batalha. Como líder espiritual e militar do povo, Deus falava diretamente com ele como falava com Moisés (Js. 1:6 cf. Dt. 31:7). Liderou o povo na travessia do Jordão como Deus havia ordenado (Js. 3 e 4), executou a circuncisão e celebrou a Páscoa (Js. 5), liderou o exército na conquista de Jericó (Js. 6), identificou e puniu firmemente o pecado (Js. 7), etc. Sua valentia nas guerras e responsabilidades no cuidado civil e religioso do povo, era a mesma dentro da sua casa. As palavras que mais representam esta valentia e liderança espiritual são: “Porém, se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos pais que estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js. 24:15). Ele compreendia com a aliança de Deus com o povo incluía temor e obediência da sua própria casa a Deus. Como guerreiro, não admitia que os seus servissem a outros deuses, mesmo quando muitos estavam insatisfeitos.

        Estes princípios são norteadores para todos os homens que desejam ser crentes relevantes nesta geração. Obedecer a Deus firmemente e assumir a liderança espiritual da sua própria casa foram características de um homem, chamado Josué. Que neste Dia do Homem Presbiteriano, nós, homens, reflitamos e sigamos o seu exemplo!

Com amor,
Ericson Martins
contato@brmail.info

___________________
Previna-se: leia a bíblia!

0 comentários:

Vídeos

Loading...