Adaptação nos relacionamentos


Em qualquer ambiente que você vive o valor dado à habilidade de lidar com pessoas com as quais se relaciona constitui um elemento fundamental para a boa convivência (Rm. 14:19), considerando a adaptação aos novos relacionamentos. 

A Palavra de Deus recomenda que os relacionamentos devem ser cultivados por amor (Rm. 12:16, 15:5, 7, 14; 1 Cor. 12:25; Gl. 5:13, 6:12; Ef. 4:2, 32, 5:19-21; Fl. 2:3-4; Cl. 3:13, 16; 1 Ts. 4:18, 5:11; Hb. 3:13, 10:24; Tg. 5:16; 1 Pd. 4:9-10, 5:5 cf. Mt. 22:36-40). Todos estes textos enfatizam aquilo que o leitor deve fazer e não o que deve esperar que lhes faça. Pensando nisto, gostaria de destacar alguns conselhos básicos que podem auxiliar aqueles que andam sofrendo dificuldades para criar novos relacionamentos e encontrar a alegria que eles escondem.

01. Tome iniciativa (Mt. 7:12).
Há um truísmo inevitável sobre relacionamentos: eles são feitos! Se não der o primeiro passo em direção aos novos relacionamentos estará abrindo mão de amar pessoas e ser amado por elas, também de se libertar da insegurança pessoal (timidez) por estar em um contexto de relacionamentos desconhecido. Muitos reclamam de não se adaptarem em um novo contexto de relacionamento, porém, evitam estar onde as pessoas estão, não as convidam às suas casas, após o culto desaparecem ao invés de se fazerem notadas com cumprimentos cordiais, bate-papos, sorrisos, abraços ou mesmo despedidas prolongadas. Na realidade esperam dos outros o que devem fazer primeiro. Se entender este princípio, descobrirá que não há lugar ou ambiente que possa lhe impedir de adaptar-se e criar bons relacionamentos baseados no amor verdadeiro.

02. Comprometa-se com as pessoas (Jr. 29:7).
Os melhores amigos são os mais antigos. Nenhum relacionamento profundo nasce, cresce, amadurece e dá frutos em pouco tempo de conhecimento e convivência, porque relacionamento exige comprometimento. Por isto, assuma o compromisso de participar da vida das pessoas, nos seus momentos mais significativos. Isto cria um senso de valor que elas encontram em você. Estas singelas iniciativas nutrem relacionamentos que se fixam na memória que carregam. Adaptação demanda tempo, mas aja com perseverança e responsabilidade para frutificar onde Deus te plantou. Fugir das dificuldades encontradas apenas fará de você uma pessoa instável, sem compromisso, sem frutos.

03. Aceite se quer ser aceito (Pv. 17:17).
Nenhum relacionamento se torna tão desafiador quando ignorado. Porém, você é responsável por suas atitudes, não pelas dos outros. Saiba identificar tanto as ações que deve tomar para manter a paz cristã (Rm. 12:17-18), quanto as que deve comprometer-se na busca das soluções quando a crise se instalar. Grande parte destas crises está relacionada com a rejeição. Se deseja criar relacionamentos saudáveis, aceite as pessoas como são para conhecê-las e entender porque agem como agem, ao invés de levantar suspeita do caráter que possuem ou tentar mudá-las porque não se encaixam em suas preferências ideais (Rm. 14:1-4). Aceitá-las não significa aprovar o mal que praticam, mas permitir que se revelem como são para saber em quê e como ajudá-las no caminho do Senhor.

Adaptação pessoal nos relacionamentos não é um processo simples e fácil. Constrange, confronta nossa acomodação, desafia nossa rotina, pressiona nossa paciência, e nem sempre somos recompensados pelas iniciativas empreendidas; porém, somos uma família cristã e nela temos a responsabilidade pessoal de criar e fortalecer laços de amor genuíno em honra a Cristo. E é por este motivo que vale a pena todo esforço!

Com meu carinho.
Ericson Martins
contato@brmail.info



0 comentários:

Vídeos

Loading...