Por que famílias enfraquecem?



Por que famílias enfraquecem?

A família é a unidade mais fundamental da sociedade, visto que ela é a maior responsável pela formação de valores que orientarão homens e mulheres em interação com o mundo. Na perspectiva bíblica, além deste conceito geral, a família constitui o reduto em que se deve expressar unidade de papéis, governo, cuidado mútuo e legítima consideração uns pelos outros no temor do Senhor (Gn. 1:18-24 cf. Ef. 5:22-6:4).
Vivemos, entretanto, em época que pessoas valorizam mais coisas e/ou resultados que pessoas. Assim, experimentam crescente superficialidade nas relações, substituindo interesses coletivos por individuais. É neste sentido que a família vem sofrendo para manter-se firme na base da unidade.

Abaixo, enumero brevemente as três maiores ameaças contra as famílias atualmente, sendo elas cristãs ou não:

01. Perda do significado do casamento. Esta é, sem dúvidas, uma das causas mais evidentes dos divórcios que neste ano já aumentaram mias 3% em relação ao ano passado (36%), segundo o Jornal Hoje em 07/05/2012 e dados veiculados pelo IBGE. Mesmo casados muitos tratam o casamento como sendo ele obsoleto e ignoram os votos pré-nupciais. Outros consideram o casamento, por falta de seriedade e entendimento, como uma questão de conveniência pessoal, uma mera relação formal e funcional em contraste à imagem bíblica do que realmente ele significa. Assim, se seus interesses pessoais não forem satisfeitos, o divórcio torna-se uma necessidade e não uma ameaça que deve ser persistentemente combatida.

02. Enfraquecimento da figura masculina. Esta é outra razão igualmente séria! O homem foi criado por Deus para governar, educar, proteger, sustentar e cuidar. Seu enfraquecimento na família representa um enorme prejuízo na sociedade. Filmes, por exemplo, insistem criticar a ausência da paternidade como um protesto a esta falha, comerciais de TV e até mesmo membros da família ridicularizam sua força como autoridade em contraste à imagem bíblica de liderança no lar que gira em torno no marido e pai (Gn. 18:19; Dt. 6:6-9; Ef. 6:4 e 1 Tm. 5:8). Ouve-se em nossos dias que pais são substituíveis, mães não. Conceitos como estes provam o quanto o enfraquecimento da figura masculina compromete a unidade familiar.

03. Distorção no papel da mulher. Subsequentemente, outra ameaça trata-se do instável lugar da mulher no mundo de hoje. Ela era uma figura que agregava inúmeras funções vitais para a manutenção da família. Era indispensável como esposa, mãe, enfermeira, professora, cozinheira,... o esteio da família (Pv. 14:1). Entretanto, com as mudanças da sociedade e exigências cada vez mais duras impostas a ela, suas funções tornaram-se dispensáveis ou substituídas por outras fora do lar que, no seu entendimento, oferecem maior segurança e honra pessoal. Mas isso trouxe grandes desgastes emocionais. Ela hoje é tão ocupada fora lar que suas funções dentro da família tornaram-se comprometidas. Porém isto contrasta com a imagem bíblica da mulher em família, segundo a qual ela encontra segurança e honra pessoal no seu papel dentro de casa e não fora dela, conforme Provérbios 31:10-31. Seus procedimentos como esposa e mãe dentro de casa, em primeiro lugar, é que a honram (Pv. 31:31).

O que pode ser feito para combater essas ameaças à vida familiar? Certamente não há uma fórmula simples, isto seria subestimar ingenuamente problemas tão complexos e profundos. Porém, a bíblia nos instrui a retornar quando percebemos estar caminhando numa direção conflitante com Seus conselhos. Neste caso, o esforço deve ser o retorno à imagem bíblica da família a partir de responsabilidades pessoais. Acredito firmemente que a Palavra de Deus pode nos orientar fortalecer nossas famílias.

Com meu carinho,


Ericson Martins
contato@brmail.info



0 comentários:

Vídeos

Loading...