A comunicação no casamento



“Cada um se farta de bem pelo fruto da sua boca,
e o que as mãos do homem fizerem ser-lhe-á retribuído” Provérbios 12:14


            A comunicação é um dos princípios mais fundamentais na relação conjugal, pois o nível de comunicação determina o nível de relacionamento entre os cônjuges. É possível viver muitos anos juntos, mas sem unidade, por causa de deficiências na comunicação dentro do casamento.

            As palavras que saem da boca possuem em si um poder muitas vezes subestimado para alegrar ante um resultado ou entristecer por ele, para fortalecer o relacionamento ou enfraquecê-lo, para animar diante de um desafio pessoal ou para desanimar, para edificar um bem progressivo ou neutralizar sua iniciativa, para aumentar a transparência e confiança ou romper com ela. Provérbios 21:23 diz: “o que guarda a boca e a língua guarda a sua alma das angústias”, visto que palavras ditas precipitadamente, fora de tempo adequado ou mal escolhidas podem inevitavelmente gerar angústias.

O texto base desta devocional (Pv. 12:14) apresenta um paralelo de palavras entre “fruto” e “retribuição” para dizer que assim como o homem que planta a semente na terra e no seu devido tempo goza do fruto que plantou, assim será com o uso das palavras que saem da boca. Tanto podem trazer o bem abundante, como torná-lo escasso. Por esta razão, é necessário cuidado quanto à comunicação no casamento.

            Primeiro, aprenda escutar o outro, mesmo aquilo que é absurdo ou não faça sentido para você. Quanto mais escutar, mais saberá quais palavras usar em resposta. Segundo, demonstre interesse por aquilo que o outro tem para dizer, mesmo que já tenha ouvido as mesmas histórias “centenas de vezes”. O que ele(a) pode estar buscando é apenas sua atenção. Terceiro, equilibre incentivo e exortação em amor (Pv. 3:3-4). O elogio exagerado desperta a vaidade enquanto a exortação exagerada a repressão. Saiba equilibrar estas palavras. Somente o amor sincero por ele(a) torna isto possível. Quarto, termine uma discussão positivamente. Mesmo que não chegue a uma conclusão sobre determinado assunto, destaque o proveito da conversa e não deixe para trás um “clima” de constrangimento ou chateação. Nenhuma das partes ganha em argumentação, mas ambos ganham quando encontram a solução juntos.

            Em Tiago 1:19 as Escrituras recomendam: “Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar”. Que o Senhor abençoe a comunicação dentro do seu casamento!


Ericson Martins
contato@brmail.info


Siga-me nas Redes Sociais:
http://facebook.com/ericsonmartins
http://twitter.com/ericsonmartins



0 comentários:

Vídeos

Loading...