Em tudo dai graças


“Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” - 1 Tessalonicenses 5:18

Somos diariamente bombardeados por notícias negativas veiculadas por todos os meios de comunicações. Estas podem determinar o modo como interpretamos nossas circunstâncias e relacionamentos. Assim, o pessimismo, por menor que seja pode superar motivos muito maiores de gratidão em nossa volta. E sem percebermos claramente tal processo podemos nos tornar, gradativamente, murmuradores. A murmuração foi um dos pecados que o povo de Israel praticou contra o Senhor no deserto. Ele enviava o maná todos os dias, mas o povo não agradecia; pelo contrário, reclamava até das bênçãos de Deus.

Não queremos dizer que devemos menosprezar os problemas ou ignorar os seus efeitos para concebermos uma visão ingênua ou imatura dos nossos deveres, mas termos a lucidez suficiente para lidar com eles, de modo a não permitir que o seu discernimento se torne motivo para a ingratidão e constante insatisfação.

O apóstolo Paulo, em sua segunda viagem, dedicou-se a anunciar Cristo aos tessalonicenses por aproximadamente três semanas. O fruto do seu trabalho foi a formação de uma Igreja importante na Macedônia (região em que estava localizada a cidade de Tessalônica). Contudo, o trabalho proselitista que os judeus já faziam na Região foi dramaticamente enfraquecido pela pregação do Evangelho. Furiosos, instigaram um ataque contra a casa de Jason, por ter hospedado os missionários, e contra estes também (At 17:1-9). Naquela ocasião, Paulo entendeu que seria sábio preservar a Igreja de problemas maiores, despedindo-a (At 17:10-15). Ele até tentou retornar para Tessalônica, mas foi impedido (1 Ts 2:18). Porém, como Timóteo permaneceu na cidade (At 17:14), este depois deu boas notícias do desenvolvimento da Igreja (1 Ts 3:6 cf. 1:6-8, 4:1, 9-10), mas também de problemas como: especulações e desconfiança da liderança (1 Ts 2:3-12 e 5:12-13 - problema eclesiástico); negligência da santidade quanto ao trato uns dos outros e uso da sexualidade (1 Ts 4:3-10 - problema moral) e omissão do trabalho em resposta do apelo escatológico das pregações de Paulo (1 Ts 4:11-12 - problema teológico). 

A Epístola de 1 Tessalonicenses reflete o anseio do apóstolo Paulo de ver os crentes daquela Igreja firmados na teologia sobre a qual foram ensinados, com gratidão em todas as situações. Como? Sendo vigilantes quanto ao Dia do Senhor (5:1-11), acatando com apreço os líderes locais (5:12-13), no serviço cristão (5:14-15), sempre disciplinados na alegria (5:16), oração incessante (5:17) e ações de graças por saberem que o propósito soberano de Deus está por trás de todas as circunstâncias. Paulo mesmo disse: “Em tudo”, porque estas recomendações são reivindicadas para qualquer situação. 

Ser grato não é uma reação ocasional a uma experiência positiva apenas, mas uma conduta cristã permanente. A conjunção traduzida por “porque” expressa o sentido de “causa”. A vontade de Deus é o motivo desta conduta de gratidão. Portanto, não se trata de uma sugestão, mas de uma clara determinação da vontade de Deus, para que sejamos agradecidos permanentemente. Esta vontade não é abstrata, inalcançável ou oculta, mas revelada em Cristo Jesus para conosco. Ele é o modelo segundo o qual obtemos a forças para sermos gratos, mesmo quando as nossas circunstâncias não são como esperávamos.

Com amor.

Ericson Martins

Um comentário:

Vídeos

Loading...